terça-feira, 31 de maio de 2011

Às vezes eu acho que eu não sinto a sua falta. Sinto falta de mim. De como eu era e de como conseguia viver um sentimento quase que infantil, falta da maneira como eu sentia que estava tudo bem quando você estava por perto e de como eu achava que você era a pessoa mais perfeita do mundo, pra mim você sempre foi perfeito. Sinto falta da maneira de como eu sorria só com a pronuncia do seu nome e de como eu sabia descrever, mesmo que desajeitada, o que era um pouco do amor.
Eu mudei muito depois de tudo, só eu sei o quanto, não sei mais o que exatamente é gostar de alguém, como exatamente é o amor, fiquei meio desiludida de tudo. Tento me convencer de que isso é bom pra mim. Com certeza estou muito mais madura com tudo isso, mas às vezes me bate uma saudade de como a vida muda quando a gente passa a ver ela com os olhos com um pouco mais de amor.
É eu não sinto a sua falta, sinto a minha e de como eu sonhava mais antigamente, planejava mais e conseguia ganhar o meu dia inteiro com apenas um sorriso seu. Às vezes é foda olhar a vida com um pouco mais de frieza, mas com tudo isso, fui obrigada a perceber que apesar de foda é necessário.