terça-feira, 14 de setembro de 2010


Ontem reli algumas de nossas conversas antigas. Passei algum tempo vendo o quanto a gente se gostava e todas as mudanças meses a meses. Não sei exatamente em que momento eu me deixei envolver demais sem notar que você se afastava cada dia mais.
Fico pensando em todas as noites em que passei em claro por você e em todos os sorrisos que você facilmente tirava de mim. Eu queria te contar todos os meus segredos e de um momento para outro você virou um deles. Não sei o que fiz de errado, nem o porque não conseguia despertar em você os mesmos olhares bobos e sorrisos que você tirava tão facilmente de mim.
Com o tempo nos afastamos de maneira tão brusca que a distância virou algo presente e que já não incomodava mais.
Eu não queria que você fosse perfeito, porque de alguma maneira, para mim você era, eu só queria que você estivesse presente e que devota-se a mim pelo menos um pouco do seu amor.
Hoje em dia eu vejo que por mais que eu tenha aprendido muito com tudo isso, e que no final tenha sido melhor assim, eu ainda sinto a sua falta. Mesmo com todas as feridas que você me deixou, mesmo com todas as noites chorando e perguntando por que tinha que ser assim, eu só queria que você soubesse que eu de alguma maneira ainda te amo. Você me tornou uma pessoa mais fria, com medo de se entregar, mas de algum modo você me mostrou também o quanto eu era capaz de amar alguém.
Talvez um dia eu volte a ser como antes, talvez um dia a gente se encontre na rua e se cumprimente com um sorriso e quem sabe, um dia, eu esqueça tudo isso e volte a amar como antes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário