sexta-feira, 17 de setembro de 2010


Era sexta-feira à noite e ela terminava de se arrumar. Uma roupa provocante, um perfume marcante, sua maquiagem iluminava seu rosto de um jeito que a deixava incrível. Seria uma noite de música, conversa e bebidas com as amigas. Seria tudo perfeito.

Subiu em cima do salto, quando escutou o telefone tocar. Quem seria àquela hora? Devia ser uma das meninas a apressando. Andou até o telefone com certo animo e quando o atendeu, seu sorriso foi ao chão. "Alô", dizia uma voz grossa e meio rouca e que ela reconheceria até debaixo d'água. Seu coração palpitou por um momento. Não podia ser não depois de tanto tempo, não depois de tanta discussão. Suas respostas eram curtas e trêmulas, sentia seu coração cada vez mais rápido. Sentia um medo trancar sua garganta e a adrenalina subir por suas veias.

Ele queria sair, conversar, ela hesitava entre a sua cabeça e suas amigas e o seu coração com ele. Respirou e disse com a maior convicção que pode: "Hoje não posso, me liga amanhã". Sentiu sua voz falhar no final da frase.

Ouviu a resposta positiva do outro lado e desligou o mais rápido possível.

Encostou-se à parede e respirava rapidamente. Uma mensagem chegou a seu celular, eram suas amigas querendo que ela fosse logo. Foi quando percebeu que sua conversa que pra ela havia sido tão rápida, havia durado uns 25 minutos.

Pegou a chave do carro, olhou para o telefone por um instante e saiu.Tudo girava a sua cabeça. Não sabia sobre o dia de amanhã, a única coisa que sabia é que essa noite iria se divertir e esquecer seus problemas. Por que sabia que amanhã eles voltariam, nem que fossem pelo telefone. Ligou o som e se deixou levar pela noite.

Nenhum comentário:

Postar um comentário